domingo, 19 de fevereiro de 2012

Eu não sei do que eu tô falando

Minha escrita fica cada vez mais míope com o passar do tempo. Sim, provavelmente alguém já disse isso alguma vez, me parece bonito demais para ter sido criado por mim. E míope como sou, continuo apertando meus olhos, mas rejeitando colocar os óculos. Insistir em erros é o bônus da teimosia. E muitas vezes o maior erro é o de querer tapar buracos. Pessoas são insubstituíveis. Acredite, ele pode ter sido o maior babaca do mundo, contudo arrumar o carinha perfeito não fará ele ir embora. E ele não tem que ir. Há uma enorme diferença entre seguir em frente e esquecer. Na minha cabeça confusa não faz o menor sentido simplesmente apagar tudo que se teve com alguém, é necessário preservar o carinho, os momentos bons e os minutos que valeram por cem anos. Discussões e humilhações se apagam naturalmente quando percebe-se que ninguém rouba o lugar de ninguém. Ainda bem! Porque em outro lugar especial dentro de você há espaço de sobra para alguém novo. E depois outro e outro. Essa é a mágica. Existe um infinito dentro de nós. Para se completar é extremamente imprescindível que cometamos muitos erros cruciais. E inapagáveis, graças ao bom Deus que eu não acredito.

Natália Assarito

Nenhum comentário:

Postar um comentário