domingo, 4 de março de 2012

Sobre tudo que eu preciso falar

Eu teria um texto incrível pra escrever, mas são 4:08h da manhã, preciso digitar baixinho pra não acordar meus pais e, além disso, pouco tempo atrás tomei muita caipirinha de morango. Não sei qual o motivo de tanta confusão e porque insisto em pecar tanto na intensidade. Talvez a razão de todo esse barulho seja uma tentativa desesperada de curar o silêncio dentro de mim. Ele machuca. E eu acabo sentindo falta dos amigos que eu não consegui manter e da reputação que eu nunca estabeleci. Nietzsche dizia sobre a necessidade do caos para originar a estrela dançarina. Mas nada acontece. E eu canso de viver no meio desse turbilhão de sentimentos- denominados minha alma, temperamento, qualquer outra besteira. Pode ser melhor do que nada, contudo permaneço considerando triste deitar com o pensamento que se tudo der errado, eu sobrevivo. Porque eu sobrevivo mesmo, carregando um custo pesado.

Natália Assarito

Nenhum comentário:

Postar um comentário