quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Ele Está de Volta - Resenha




                 O que aconteceria se Hitler acordasse em um lixão de Berlim no ano de 2011? Após um apagão injustificável é com essa situação cômica que se iniciam as primeiras páginas de Ele Está de Volta, livro de Timur Vernes. Em uma Alemanha completamente diferente da qual o führer estava acostumado, repleta de estrangeiros e tecnologias estranhas, Hitler precisa se adequar ao mundo moderno para concretizar seus planos de dominação.
                Um livro que faz piada com o nazismo e com a morte de milhares de pessoas é, no mínimo, polêmico. Entretanto, a leitura é surpreendente e completamente válida. Apesar do personagem principal, não é o holocausto o tema do romance. A mídia e suas falcatruas, o vômito de informações desnecessárias que recebemos a todo instante e a incitação ao ódio, compõem essa comédia crítica espetacular.
                Com uma narrativa engraçadíssima e após muito estudo, o autor desvenda a personalidade de Hitler, associando seus desejos do passado com a realidade atual.  Hitler fica horrorizado ao descobrir o comportamento e estilo do alemão contemporâneo, no qual a falta de respeito é reinante e a líder máxima do país é uma “gorda com jeito de homem”. O führer, portanto, mais do que nunca, quer se erguer como líder supremo, tomando poder da Alemanha e difundindo seus princípios, como a expulsão dos turcos que “infestam” seu país. Levando em consideração que não estamos mais nos anos 40, essa tarefa seria impossível, se o protagonista não tivesse descoberto a televisão.
                O primeiro contato de Adolf com a TV é simplesmente hilário. Ele fica estarrecido com a quantidade de “mulheres gordas” que cozinham o dia inteiro nos programas. Porém, logo percebe que esse é o caminho para atingir a grande massa, entrando rapidamente em contato com uma emissora.
                Obviamente, ninguém acredita que o maluco que age e fala igual Hitler é o führer em pessoa, contudo, ficam impressionados com o seu poder de atuação, que o impede de sair do personagem, para imitar o líder do passado. Em pouco tempo Hitler ganha um quadro em um programa de auditório, sendo sua primeira aparição totalmente polêmica para a moral vigente. Os executivos da emissora, para reverter a situação, inserem Hitler nas redes sociais e o führer vira uma febre, com centenas de fãs,  despertando a inveja de colegas de emissoras e o ódio de jornais esquerdistas, os quais apenas colaboram para que sua fama seja maior.
                Hitler com seu discurso de ódio torna-se tão famoso que ganha seu próprio programa. O público não percebe as atrocidades de suas falas, considerando apenas uma sátira, algo que lembra o massacre de forma leve e os leva a refletir para que isso nunca mais aconteça, justamente o contrário do que o protagonista pretende. O caminho para o führer, com a mídia atingindo a grande massa, é de sucesso e concretização dos seus planos de maneira fácil e tranquila.


                Esse livro é completamente perigoso, porque o personagem criado por Timur Vernes é tão carismático que muitas vezes passamos a torcer por ele! E é justamente esse o ponto central do enredo. Quantas vezes pessoas que não compreendemos completamente estão na mídia nos afogando de informações duvidosas? Precisamos sempre estar atentos ao que nos está sendo passado na tv, nos jornais e na internet. Será que realmente vale, por parte das emissoras e editoras, tudo por dinheiro? E o quanto desses “crimes” nós financiamos? Fiquei impressionada com o tamanho e o teor do debate que o autor conseguiu originar em seu primeiro romance! Esse primor e inteligência é pra poucos. Definitivamente, Ele Está de Volta entrou para minha lista de queridos.


Minha companhia de madrugadas insones




2 comentários:

  1. Que demais! Achei que esse livro era ruim, não estava dando nada pra ele! Mas depois da sua resenha, mudei meu pensamento! Fiquei com vontade de ler!
    Achei interessante o ponto que você falou que chega um momento em que começamos a nos simpatizar e torcer pelo protagonista, pois era exatamente o que a maioria das pessoas sentia por Hitler: carisma. Acredito que com isso, além de mostrar como a mídia influencia as pessoas, o autor quis mostrar um pouco da influência de Hitler na década de 40. Sensacional!

    Bjos

    http://bymiih.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. O livro é sensacional mesmo, Mih, não deixa de ler! Ainda mais agora que você já entendeu mais ou menos a essência que o autor quer passar, vai ler com outros olhos.

    Beijos

    ResponderExcluir