segunda-feira, 29 de setembro de 2014

TAG: TLT



Quando as musas BookTubers Tati Feltrin, Patricia Pirota e Juliana Gervason lançaram uma TAG,  logo corri para assistir o vídeo porque sabia que algo bom estava por vir! E a minha aposta foi certeira. Estava um pouco enjoada desse tipo de postagem, uma vez que a maioria das TAGs sempre possuem questões semelhantes. Porém, essa é totalmente diferente, o que me animou bastante para vir aqui responder. Espero que vocês gostem, eu adoro essa brincadeira de perguntas e respostas mais informais!


  • Um livro que nunca vou ler

Casamento Blindado. Apesar de ser um dos livros mais vendidos do Brasil, com certeza nunca lerei Casamento Blindado. Já não gosto nem um pouco de livros de auto-ajuda e gosto menos ainda da ideia desse. O público leitor é formado primordialmente por mulheres e ensina dicas para mulheres fazerem de tudo para salvarem seus casamentos. Sei lá, nem sou casada, mas tenho certeza que os problemas de um casamento não podem ser solucionados apenas pelas mulheres. Não curto mesmo a ideia e nunca lerei.










  • Nunca imaginei que fosse gostar

O Mágico de Oz. Nunca MESMO imaginei que fosse gostar desse livro. A história, apesar de famosíssima, nunca me chamou atenção. Além disso, ano passado (eu acho) a Disney lançou um filme sobre o Mágico de Oz horrível! Comprei essa edição da Zahar na Bienal do livro só por causa do box e não dei nada por ela. Como aceitei fazer parte do desafio do mês do horror e selecionei alguns livros que combinariam com Halloween, achei que o Mágico de Oz seria uma boa pedida, uma vez que, apesar de não ser de terror, conta com bruxas e magia. A minha surpresa foi muito grande! O enredo, escondido sobre um pano infantil, é extremamente poético e lindo! Vou fazer resenha em breve, então não vou me alongar muito aqui.






  • Nunca imaginei que não fosse gostar
O Diário de Anne Frank. Essa foi a minha maior decepção literária. Fui ler com tanto entusiasmo esse livro que com o passar das páginas tinha que me forçar a continuar lendo, porque não queria desistir de jeito nenhum. Não me conformo comigo mesma por não ter gostado. Vejo tantos trechos e fãs e museus e edições especiais que não consigo entender o motivo de não ter aguentado terminar. Pra ser bem sincera, tenho vergonha de confessar que não suportei a Anne Frank, mas me ficava muito indignada com ela odiando a própria mãe. Eu sei que a convivência em um cubículo como aquele devia ser difícil e que a situação era extrema, mas não consegui. Quero reler e ver se realmente odiei ou se foi algum problema que eu tive na época!








  • Troco por uma bala
Lua Nova. Esse livro também poderia facilmente entrar no quesito "nunca imaginei que não fosse gostar", mas não fiquei tão chocada como em O Diário de Anne Frank. Hoje em dia, não curto mais livros estilo Crepúsculo, porque meu gosto mudou com o passar dos anos. Contudo, aos 14 anos, surtei quando li o primeiro volume da série, terminando-o em 2 dias, na praia! Lua Nova, por outro lado, foi muito muito muito decepcionante. Não gostei da introdução dos lobisomens e da disputa do Jacob e do Edward pela Bela (pra mim não devia ter essa dúvida, sempre fui #teamEdward, questão resolvida hahahaha). A magia de Crepúsculo, na minha opinião, era o amor impossível do Edward e da Bela, não a parte sobrenatural. Enfim, não gostei e terminei de ler a série por obrigação.






  • Não troco por nada
Dom Casmurro. Vocês já devem estar cansados de me ouvir falar desse livro: em toda TAG eu cito, já mostrei minha coleção com vários volumes e DVD,  enfim, sou aloka do Bento Santiago. Não tem o que questionar, é o meu livro preferido, se eu fosse pra uma ilha deserta levaria só ele e morreria abraçada nele, é muito amor hahahhaa Mas, falando sério, em todos os livros e autores que eu já li, nunca vi um personagem tão bem construído, em termos psicológicos, como o Bentinho. Ele é completamente verossímil, leio e releio procurando uma única falha e não acho. Essa construção perfeita de personalidade é característica do Machado de Assis, afinal, quem leu Memórias Póstumas de Brás Cubas sabe que esse protagonista também é muito bem feito! 







  • Jura que é bom?

Game of Thrones. Vejo sempre leitores alucinados com R. R. Martin e super empolgados com a série e fico muito desconfiada. Tenho curiosidade de ler, mas os livros são imensos e caros, então repenso bastante. Se você for um desses apaixonados por esses livros, deixe um comentário aqui embaixo dizendo se é tão bom mesmo! 










  • Jura que é tão ruim?
O Céu dos Suicidas. Quando a Tati Feltrin abriu votação de um livro para nós escolhermos para que ela lesse, escolhi prontamente o Céu dos Suicidas (eu e mais um monte de gente, porque foi o que ganhou). O título me chamou muito a atenção e achei o enredo super interessante. Porém, quando a Tati foi fazer vídeo resenha, falou que tinha largado porque o livro é insuportável. Fiquei super surpresa e agora estou com um pé atrás para iniciar a leitura. Se você já leu ou tentou, também me deixe um comentário, vai me ajudar muito! 










*Antes de fazer o post tinha adorado a TAG, mas depois achei muito difícil de responder, porque, sinceramente, estou sempre disposta a ler qualquer coisa e é muito difícil achar um livro que eu não tenha gostado. Geralmente, quando não gosto, tento imaginar que apenas não sou o público alvo e não fico falando mal, uma vez que, com certeza, terá que goste! No final das contas, acho que não gostei tanto assim da TAG. Deixem comentários sobres os livros que eu escolhi e sintam-se a vontade para responder também em seus blogs/canais.

3 comentários:

  1. Ameiii essa tag! Vou fazer!
    Sobre os livros, só li Dom Casmurro. Gostei bastante, porém não é um dos meus favoritos. hehehee

    Bjão
    http://bymiih.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Faz sim! Tô louca pra ver suas indicações

      Beijos

      Excluir
  2. Estou lendo o "o céu dos suicidas" e confesso que comprei pq amei a capa. haha Quando cheguei em casa, eu procurei sobre o autor e li que ele fazia uma literatura recheada de humor e que era uma grande aposta na literatura brasileira. Ainda não vi humor, e os xingamentos e momentos de raiva do personagem me parecem um tanto quanto artificiais. Já estou na página 105 de 186. Espero que melhore, mas não é dos piores livos que já li, está longe de ser dos melhores também.

    ResponderExcluir