quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Valente - Resenha



No começo do mês eu descobri a história do Valente, um cachorrinho apaixonante e apaixonado, com uma vida retratada em quadrinhos que podia ser nossa (como eu disse nesse post aqui). Eu queria voltar a ler hq e pedi indicações para um amigo super entendido no assunto –aliás, eu sempre sugiro que ele faça um blog, mas ele sempre me ignora –que me indicou Valente. Meu namorado comprou o primeiro volume, Valente para sempre, e eu não terminei de ler enquanto não ganhasse os outros dois, Valente para todas e Valente por opção. Eu não queria me despedir da história sem saber o que aconteceria depois, seria impossível. Meu namorado, que é um fofo, me deu os outros dois que eu li em um dia e não podia deixar de resenhar para vocês.

Apesar dos personagens serem animais, Valente e seus amigos não são nada incomuns. Jovens, prestes a terminar o ensino médio e começar a faculdade, estão em uma fase de desejos e autoconhecimento que todos nós passamos ou iremos passar. Gostam de gastar horas na frente do videogame, jogar rpg e, como todo adolescente, são inseguros ao iniciar sua vida amorosa.





 Valente se apaixona por Dama, uma gatinha que conhece no ônibus, e fica noites em claro pensando em uma estratégia para vencer a timidez e se aproximar da amada. É claro que são geradas inúmeras expectativas que levam o personagem a se decepcionar muito. Valente, então, jura que nunca mais vai querer amar outra vez, promessa que, obviamente, não foi cumprida. Pouco tempo depois o cachorrinho conhece, também no ônibus, Princesa, uma panda que logo o corresponde, ao contrário de Dama.
Ao longo dos demais volumes, Valente se forma, inicia o curso universitário, frequenta churrascos (e se sente deslocado –Valente, I feel your pain), sente o afastamento natural dos amigos que estava acostumado a ver todos os dias e vive um triângulo amoroso.  São idas e vindas que já nos tiraram muito o sono e que em Valente se traduzem em muitos sanduíches de rosbife (pra mim já foi chocolate, sorvete, cookies e balinhas Fini). Em cada balão da história encontramos nosso passado e nossas inquietações.




Preciso deixar clara minha admiração pelo autor Vitor Cafaggi. Não conhecia nenhuma obra dele, mas vou tentar comprar tudo (aos poucos, afinal, vida de estudante universitária não é fácil). Em Valente, com seus traços simples e certeiros, fez a adolescência e seus dilemas virarem poesia. É gostoso perceber que tudo na vida, mesmo, passa e que cada momento vivido se torna aprendizagem no futuro (pode parecer papo de mãe, mas é a pura verdade).  Valente tem muitas lições de vida que todos nós, em um momento ou outro, vamos aprender.



Boa notícia: o autor lançou o quarto volume, Valente para o que der e vier, na Bienal! Não está fácil encontrar para comprar, mas vou persistir hahaha





2 comentários:

  1. Nossa, esse livro parece ser muito lindo! Eu amei sua resenha sobre ele, e acabei me apaixonando só de ler sua postagem! Como não tenho muito tempo só para mim, vou comprar esse livro para minha irmã (que adora esses tipos de livros), se ela gostar assim como você, vou dar um jeito de ler também!!
    Beijos ♥

    Cheia de Charme ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Compra sim, tenho certeza que ela irá adorar e você também!

      Beijos

      Excluir