quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Jogos Vorazes: A Esperança - Parte 1 (Estreia)



Hoje finalmente estreia o primeiro filme do último livro da Trilogia Jogos Vorazes: A Esperança, Parte 1. Acho bem triste e feio ficar esticando o último livro em dois filmes só pra vender mais ingresso, não consigo imaginar de que maneira isso respeitaria os fãs, uma vez que se fosse para prezar por fidelidade à história, todos os livros deveriam ser divididos também. Considero realmente desrespeitoso fazer os leitores esperarem tanto pelo desfecho em troca de alguns milhões de dólares a mais no orçamento. 

Recordo-me de um comercial (acho que de vodka) que dizia algo como "Idaí, se eu gosto mais do filme do que do livro?" que me fez por muito tempo pensar se eu tinha alguma relação dessa. Jogos Vorazes é assim pra mim. Foi o primeiro filme que assisti com o meu namorado no cinema, quando éramos apenas amigos. Eu não dei a mínima atenção para ele (coitado) porque a história chamou muito a minha atenção. Não conseguia tirar os olhos da tela! Esse ano, porém, ao tentar ler o livro, preferi deixá-lo de canto, porque a escrita não me agradou e não queria substituir a imagem incrível que tenho da obra. 

Encoberto em um romance clichê YA (para jovens adultos), Suzanne Collins, a autora, faz uma crítica à nossa sociedade fortíssima. Adorei a proposta de um reality show no qual os participantes devem se matar literalmente, em despeito dos pequenos assassinatos figurados que assistimos nesses programas em troca de prêmios e fama. Além disso, a sociedade distópica narrada é completamente alheia aos problemas políticos que vigoram, vivendo atrás de uma névoa produzida pela televisão (bem, isso no primeiro filme, ocorrendo mudanças com o desenvolvimento das personagens).

Acaba sendo irônico a maneira com que os produtores de marketing estão tratando a estreia desse filme. Tenho trauma de livro dividido em 2 filmes desde Harry Potter. Sofri horrores quando o primeiro acabou em um momento de clímax, restando ao segundo apenas as últimas páginas. Nesse capítulo de Jogos Vorazes, o dinheiro gasto em publicidade foi imenso. Aqui no Brasil, teve holograma do tordo até na exposição do Castelo Rá-Tim-Bum.

Espero que a sequência atinja as expectativas geradas com tanta propaganda. Como minha agenda está do avesso, acabei não comprando ingresso antecipado e imagino que nessa primeira semana não conseguirei assistir. Estou um pouco ansiosa para saber o que acontecerá com a Katniss, mas vou ter que aguardar até a calmaria nos cinemas! 



4 comentários:

  1. Espero que o filme seja bom, até prefiro que seja dividida em duas partes para que aborde todas as cenas do livro, traumatizada com Harry Potter e o cálice de fogo que teve apenas um filme e cortaram tudo (copa mundial de quadribol).

    http://www.eucurtoliteratura.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tá, eu assisti ao filme na estreia e ADOREI! É maravilhoso, sério. O único problema é que, como eu esperava, acaba em um momento de muita tensão. Vou morrer até a estreia do final!

      Beijos

      Excluir
  2. Também odeio quando dividem o livro em duas partes, ainda mais um livro relativamente pequeno (não chega nem a ter 500 páginas). E a mesma coisa aconteceu nesse filme: a primeira parte acabou em um momento de clímax. Fiquei agoniada com o final.
    Voltando a trama da trilogia, a obra faz referência à "Política do Pão e Circo", que ocorreu no Império Romano. Acho super bacana isso, por adorar essa parte da história. Adoro essa trilogia!

    Bjão

    http://bymiih.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Mih, essa referência à política do pão e circo é que faz eu gostar de Jogos Vorazes. Hoje em dia muitas distopias e séries são lançadas, mas, muitas vezes, são só repeteco dos clássicos! A temática de Jogos Vorazes é original e moderna, eu adoro.

      Beijos

      Excluir