segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Sebos da Sé + Compras

Sebo do Messias



                Estou para escrever esse post há MUITO tempo! Pra quem não sabe, a USP teve a maior greve da história esse ano (foram 4 meses) e, por isso, as minhas aulas voltaram só na segunda metade de agosto. Não sei se foi pra descontar, ou se o segundo semestre de ciências sociais é pesado mesmo, mas os professores passaram livros demais. A carga de leitura ficou imensa e não compensava recorrer à xerox, porque eram obras inteiras e o preço acabaria (em teoria) saindo mais caro do que comprar os livros em sebos. Por conta de toda essa confusão, chamei meu pai, conhecedor da Praça da Sé (São Paulo), para irmos procurar esses livros.
                Nunca tinha ido a um sebo. Minhas expectativas (pra variar, pra variar) estavam na estratosfera e, mais uma vez, eu me decepcionei (eu não aprendo nunca!). A maioria dos leitores ama sebos e, realmente, eu consegui comprar várias coisas legais. Mas a imagem “sebo” me chocou muito. Não sei, na minha opinião, livro usado não precisa ser livro amontoado pegando pó. Eu fiquei com dó de tanta coisa boa jogada e sozinha, sem ninguém pra dar atenção e ler (mundo, me interne hahahaha).
                Entrei em 3 sebos no total. O primeiro foi o Red Star, indicação de um amigo da USP.  O segundo foi o Sebo José de Alencar e o terceiro o tão famoso Sebo do Messias. Em todos eu senti aquele vazio de falta de pertencimento. O Messias, por incrível que pareça, foi o que eu menos gostei, por não encontrar NADA do que estava procurando (apesar de ter encontrado outras coisas legais).  Para facilitar, vou listar o que eu precisava:

  • ·         Segundo Tratado Sobre o Governo, John Locke
  • ·         A Ideologia Alemã, Karl Marx
  • ·         O 18 de Brumário de Luís Bonaparte, Karl Marx
  • ·         O Capital – Livro I, Karl Marx
  • ·         Comentários Sobre a Primeira Década de Tito Lívio, Maquiavel
  • ·         O Leviatã, Thomas Hobbes
  • ·         O Contrato Social, Rousseau



Sei que não são livros fáceis de encontrar, mas são bem comuns nos cursos de humanas (direito, ciências sociais, economia, história), então achei que poderia ter uma chance. Não quis levar pra casa nada que estivesse em mal estado, pois, devido a minha rinite extremamente forte, seria impossível realizar a leitura. As minhas compras foram: 





O Leviatã, de Thomas Hobbes

A coleção "Os Pensadores" é bem famosa entre os alunos de humanas. São títulos dos mais diversos autores com uma das obras de maior destaque de cada escritor (porém, é sempre bom ficar esperto, porque algumas vezes as obras vem cortadas). Essa minha edição do Hobbes é a do Leviatã, tem capa dura e folhas brancas. O livro está novinho, nunca deve ter sido lido! Paguei R$20 na Red Star, o que é um preço excelente. A edição disponível pra venda nas livrarias custa R$100 e é editada pela minha professora de política clássica, Eunice Ostrensky (queria muito ter uma dessa, afinal é da minha professora preferida da grade, masssss R$ R$ R$ R$ R$).





   O Capital, de Karl Marx


Que dificuldade encontrar o livro mais popular do Marx! Na minha inocência, achei que seria o mais fácil de adquirir. No Red Star tinha uma edição velhíssima por R$70, o mesmo preço que estava um novo nas livrarias. Achei esse no José de Alencar. Também está igualmente novo, deve ter sido usado apenas para alguma consulta. Paguei R$50, o que na época era um preço bom, entretanto, 1 mês depois (antes que eu precisasse usá-lo na aula), a Saraiva lançou uma promoção por R$40. Não me arrependi porque ele é super novo e acabou saindo mais barato do que eu  pagaria se fosse comprar na loja, mas o novo tem as páginas amareladas (as minhas são brancas).





O Contrato Social, de Rousseau

Esse foi o único livro que eu comprei sem pesquisar o preço e foi uma GRANDE burrice, porque não sabia que todas as edições eram pockets. Na minha cabeça absurda, imaginei que o livro fosse grande, com umas 300 páginas (igual aos demais que a professora passou na lista). Fiquei muito tempo rodando até me convencer que o texto era integral. Comprei na José de Alencar também por R$8. Uma edição nova sai por R$16. Compensou porque eu tinha comprar vários livros, mas se fosse pra buscar apenas esse, era melhor comprar um novo pela internet.






Os Cem Melhores Contos Brasileiros do Século

Eu não consegui encontrar nada que eu procurei no Messias. Os livros do Jorge Amado estavam por R$3, mas as folhas chegavam a cair de tão velhos que estavam. Como tudo fica muito amontoado, fiquei muito confusa. Quando estava indo embora, passei por uma prateleira escrito "mais vendidos" e essa coisa linda estava no meio! Eu fiquei radiante de felicidade. Amo contos e amo autores brasileiros. Essa edição tem capa mais ou menos dura e está muito bem conservada. Paguei R$25 no escuro e depois, em casa, ao pesquisar, descobri que um novo sai por R$80. Um achado dos deuses!






Turma da Mônica Jovem, "O Casamento do Século"

O Messias tem uma parte dedicada à gibis e mangás SENSACIONAL. Como o passeio já estava terminando e meu pai tinha que trabalhar, não pude olhar com muita atenção. Eu sempre quis esse gibi que narra o casamento da Mônica e do Cebolinha e fiquei alucinada quando encontrei. Quando já estava em casa um amigo disse que se procurar bem na internet dá pra encontrar um novo. Paguei R$5, sendo o preço da banca R$7,50. Não me arrependi porque tá novinho e me poupou o trabalho de procurar. Eu ainda não li, mas vou fazer isso amanhã! (aquelas, tinha esquecido completamente da existência desse gibi, vê se pode)







1968, do sonho ao pesadelo

Esse livrão é uma edição do Estadão com as principais capas de 68, um ano muito conturbado na história mundial. A violência da ditadura militar se acirrava no Brasil, o que rendeu excelentes reportagens. Além disso, a Guerra Fria tava que tava, com corrida espacial e divisão do mundo em comunismo x capitalismo. Nesse ano, Martin Luther King também foi assassinado. Enfim, 1968 marcou a história de maneira única. Achei esse livro na escada do Messias e custou R$5. Fiquei bem feliz.








Ainda sobre o Messias, lá tem uma parte para CDs e LPs INCRÍVEL. São muitos títulos raros e os preços são bem baratos (pelo menos dos CDs, dos LPs eu não faço ideia!). Lá na FFLCH esse cantinho do Messias é sucesso entre os alunos! Eu não comprei nada, porque a compradora oficial de CDs da família é a minha mãe e fiquei com medo de trazer algo que a gente já tem. 







Sebo Red Star: Rua Benjamim Constant, 48. Tel: (11) 3101-3125
Sebo José de Alencar: Rua Quintino Bocaiúva, 285. Tel: (11) 3112-1882
Sebo do Messias: Praça Dr. João Mendes, 140. Tel: (11) 3104-7111



*Como vocês podem perceber, eu não achei metade do que estava procurando. Contudo, comprei títulos muito bons, a preços agradáveis e em ótimo estado. O passeio foi bastante divertido e eu planejo voltar nas férias e tentar vender algumas revistas que eu tenho. Espero que o post tenha ajudado vocês a entenderem um pouco do universo dos sebos ao redor da Praça da Sé e os motive a conhecê-los. São lugares mágicos em que você nem vê o tempo passar. 


Eu e O Leviatã. Dois maus por natureza! 


4 comentários:

  1. Ahhh sebo é tudo de bom. Mas sou um pouco seletiva com os sebos. Gosto de quando o livro está bem cuidado, sem nada escrito e tudo o mais. Aqui no Rio vive tendo feirinhas itinerantes que dá pra comprar livros novos a um preço bem barato. Adoro.

    beijos
    Kel
    www.porumaboaleitura.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também não suporto livros marcados, dá um desânimo total de comprar. Só compro se estiver em perfeito estado!

      Beijos

      Excluir
  2. Nossa amei seu blog *0* e tbm amei o post *o* seguindo aqui, se puder segue de volta ? http://vamosnospermi-tir.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sua linda, que fofa! Obrigada pelo carinho *-*

      Beijos

      Excluir