sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Cartas de Amor aos Mortos - Resenha

Quem me acompanha há um tempinho sabe que não costumo gostar de livros cujas histórias são voltadas para adolescentes ou jovens adultos. Quer dizer, não gostava até esbarrar em Carta de Amor aos Mortos e me apaixonar imediatamente!

Em meados do ano passado, quando o livro chegou aqui no Brasil, só se falava dele. O formato me chamou muita atenção, uma vez que a história é formada por cartas que a protagonista escreve contando um pouco de sua vida e do momento difícil que está passando para seus ídolos mortos, como Amelia Earhart, Kurt Cobain, Amy Winehouse, Janis Joplin, Heath Legder, entre tantas outras figuras lendárias. Arrisquei, saí da minha zona de conforto e não me arrependo nem um pouquinho.

Além da capa ser linda (emborrachada, totalmente diferente do que estamos acostumados), a escrita da autora Ava Dellaira flui, fazendo com que eu terminasse a leitura em 2 dias (apesar de eu não querer que acabasse, me envolvi demais com as personagens!).




Apesar de fluir, Cartas de Amor aos Mortos não possui de forma alguma uma narrativa leve. Eu, que nunca choro lendo, tive que me segurar em muitos momentos. Laurel, nossa protagonista, é uma jovem prestes a começar o ensino médio e passar pelas diversas descobertas e transformações que naturalmente mexem com um jovem dessa faixa etária. Contudo, recentemente Laurel perdeu sua irmã mais velha, May, a quem tanto admirava e via como um espelho. Durante todas as 337 páginas vemos uma tentativa desesperada por parte da personagem de encontrar a si mesma, sabendo qual é seu lugar e onde está o espaço de May em si,

Para fugir dos olhares de piedade do colégio antigo, Laurel muda de escola, começando uma nova vida onde ninguém conhece seu passado e nem sua irmã. Na primeira aula de inglês a garota recebe a tarefa (que nunca entrega) de escrever uma carta a uma figura histórica já morta. Porém, a carga emocional das palavras de Laurel se torna tão grande que ela decide nunca mostrar para professora, mas fazer daquele hábito de escrita seu diário. Começando por Kurt Cobain, ídolo da irmã falecida, Laurel confessa suas indagações, acontecimentos cotidianos, dúvidas e incertezas. 

Não demora muito para a protagonista se enturmar, fazendo amizade com Hannah e Natalie, personagens também muito profundas e que levantam a questão do descobrimento sexual e auto-aceitação. Como não poderia faltar em uma história sobre adolescentes, Laurel se apaixona por Sky, um garoto misterioso e introvertido, revelando-nos uma ligação de alma muito forte com o final do romance.
"Todos nós queremos ser alguém, mas temos medo de descobrir que não somos tão bons quanto todo mundo imagina que somos" 
Essa foi minha única marcação do livro, porque acho que define exatamente a ideia central da autora, além de conversar com todos os leitores. Nós sempre estamos tentando nos encontrar, mesmo que já tenhamos passado pela adolescência. No fundo nunca estamos satisfeitos com o que somos e parece extremamente complicado saber até se somos genuínos ou apenas um reflexo daquilo que pensam sobre nossa imagem.

Sem o devido apoio dos pais, Laurel precisa encarar seus 15 anos e se libertar do fantasma da irmã que a assombra dentro de si. Cheia de culpas, busca sua personalidade perdida no turbilhão que era May e durante essa jornada tropeça com jovens que também estão muito perdidos. As cartas ao longo do tempo se tornam mais íntimas, com os destinatários sendo chamados apenas pelo primeiro nome e com o desenvolvimento da garota, a qual começa a se sentir mais confortável para contar sobre o que realmente aconteceu na noite que May a deixou para sempre. 

Leiam Cartas de Amor aos Mortos. A identificação com as personagens é imediata, a escrita da autora é uma obra de arte, o livro está repleto de poesias e, de sobra, conhece-se sobre a biografia de ídolos (gostei tanto disso que estou até pensando em ler uma biografia da Amelia Earheart). 



Gostei tanto tanto do livro que até quis tirar uma foto com ele #aloka haha

13 comentários:

  1. Nossa, quer MUITO ler, Nat! Parece ser realmente muito bom!! Está na lista das próximas leituras! ❤️

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ju, você vai adorar, tenho certeza. Não deixe de ler, mesmo <3

      Excluir
  2. Adorei a resenha e fiquei com mais vontade ainda de ler esse livro! Vai pra minha listinha!

    Bjoss

    http://bymiih.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mih, já passou da hora de você ler Cartas de Amor aos Mortos, tem tempos já que você me diz que tem vontade! Acho que deveria começar agora hahaha

      Excluir
  3. Adorei sua resenha Nat! Faz tempo que vejo este livro, dou umas "flertadas" com ele mas acabo não bota do fé de não o compro, mas agora vc me deixou muito curiosa em lê-lo! Vai entrar pra wishlist do ano!
    Beijos

    www.wonderbooksdaalice.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha, é realmente uma leitura excelente, fiquei muito muito muito surpresa! Leia!

      Beijos

      Excluir
  4. Olá, Natalia!

    Estou com este livro na lista desde que foi lançado e ainda não comprei. Toda vez que vou comprar livros, esqueço dele e parece um pecado fazer isso, pois pela sua resenha ele parece ser muito legal. Vou dá logo uma chance para ele.
    Uma pergunta, o livro é narrado todo por cartas?

    Beijos!


    http://livrosfilmeseencantos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ana! O livro é escrito todo pelas cartas da protagonista, Laurel, para as figuras famosas. Pode parecer estranho, eu não gostei da ideia no começo, mas depois achei bem divertido!

      Beijos

      Excluir
  5. Oi Nati (posso te chamar assim?),
    Li esse livro ano passado sem muitas expectativas, porque quando via alguma coisa era critica e falavam que era copia de As Vantagens de ser invisível por isso não liam (WFT??? COPIA? SÓ PQ E EM FORMATO DE CARTA, VÃO A MERDA). Carta de amor aos mortos e um amorzinho <3 amo ele de coração <3

    Abraços!
    http://lendocomobiel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claro que pode me chamar de Nati! Olha, amei infinitamente mais Cartas de Amor aos Mortos, na verdade, nem lembrei de As Vantagens de Ser Invisível enquanto lia.

      Obrigada pela visita <3

      Excluir
  6. Comecei a lê-lo ontem e tive que vir aqui te dizer, não estou nem na página 100 ainda mas estou adorando! Que escrita gostoda desta Autora, estou bem surpresa e feliz!
    Obrigada pela indicação (primeiro no insta e depois aqui com esta resenha).
    beijinhos

    www.wonderbooksdaalice.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhhh, que bom que você está gostando <3 Fico muito muito muito felizzz

      Beijos

      Excluir
  7. Eu li a sua resenha e amei, só não sei se é para a minha faixa etária! A partir de qual idade você sugere para o livro?

    ResponderExcluir