quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Uma Noite no Museu 3 - O Segredo da Tumba (Resenha)






                Para descontrair um pouco o clima pesado com a leitura de Estação Carandiru, ontem fui com o meu amor ao cinema assistir a sequência de das minhas comédias preferidas: Uma Noite no Museu 3 – O Segredo da Tumba. O filme estreou dia 1 e eu estava looouca para prestigiá-lo! Sábado tinha ido ao Bourbon Shopping e não havia sobrado sequer uma cadeira disponível. Tive que conter minha ansiedade um pouco e esperar para soltar minhas risadas.
                Se alguém não conseguiu ver os outros filmes da sequência, Larry (Ben Stiller), após muitos fracassos na vida assume o cargo de guarda noturno no Museu de História Natural de Nova Iorque. Logo na primeira noite de serviço, o vigia percebe que há algo de diferente naquele lugar: os personagens históricos, esculturas, animais e tudo que ali está exposto toma vida após a meia noite. E a diversão se concentra em torno disso, em diversas figuras históricas como o presidente dos Estados Unidos; Átila, o Uno; um Imperador Romano, homens das cavernas, um tiranossauro, entre outros, convivendo e se atrapalhando ao longo das madrugadas.
Toda essa magia é possível devido a uma placa encantada egípcia; contudo, no terceiro filme, ela está ameaçada, sofrendo corrosão e matando aos poucos todos os personagens não reais. Larry, então, buscando por respostas para salvar seus amigos, viaja até um museu em Londres visando conversar com um legítimo Faraó. Entretanto, ao chegar na Terra da Rainha, percebe que sua bagagem veio um pouco mais pesada, com maior parte dos bonecos enfeitiçados na mala. 
O enredo de Uma Noite no Museu 3 – O Segredo da Tumba é relativamente mais simples e mais leve em comparação aos outros filmes da sequência. O que eu mais gostei foi não ter nenhum super vilão, deixando mais a parte cômica em evidência e a participação mais que hilária do Hugh Jackman. Eu amo história, fazia tempos que um filme não me deixava tão feliz, não conseguia parar de rir!


Além de todos os motivos já citados, outro fator que deve te convencer a levantar o bumbum da cadeira agora e ir ao cinema é que, provavelmente, esse foi o último filme do grandioso Robin Willians. Confesso que fiquei até um pouco triste ao refletir sobre isso, mas, como a própria dedicatória, ao subir os créditos, afirmou: “a magia nunca termina”. Ele foi eternizado pelo cinema e espero que esteja em paz agora.

         Para ter um 2015 e uma vida mais harmonizada, feliz e leve, permita-se rir de algo aparentemente bobo. Entregue-se para aquilo que você ama e lembre-se que a felicidade também é uma bobeira!














 *Vocês já foram ao cinema assistir algum filme esse ano? Me deixem indicações de filmes para as férias! Tô tentando manter uma postagem de indicação a cada quarta-feira, então preciso assistir muitos *-*

2 comentários:

  1. Ah quero ver *o* adoro essa sequencia de filmes e preciso ver o ultimo filme do Willians :(

    http://www.eucurtoliteratura.com/

    ResponderExcluir
  2. Sim, você PRECISA! Não vai se arrepender hihi

    Beijos

    ResponderExcluir