domingo, 26 de abril de 2015

Retrato - Cecília Meireles



Eu não tinha este rosto de hoje

Assim calmo, assim triste, assim magro,

Nem estes olhos tão vazios,
Nem o lábio amargo.

Eu não tinha essas mãos sem força.
Tão paradas e frias e mortas;
Eu não tinha este coração
Que nem se mostra.


Eu não dei por esta mudança,
Tão simples, tão certa, tão fácil:
- Em que espelho ficou perdida
a minha face?


Cecília Meireles

quarta-feira, 22 de abril de 2015

Companhia das Letras lançará diários de Renato Russo





Não deve ser dúvida para ninguém que sou apaixonada por Legião Urbana! Tenho todos os cds, dvds, livros lançados sobre o Renato Russo e a cada nova manhã me odeio por não ter nascido antes para assistir alguns shows hahaha. Sendo assim, a notícia que dá título ao post é uma das mais maravilhosas do mundo e eu não me canso de sentir tanta alegria <3

A partir de julho a Companhia das Letras lançará uma série de cinco volumes de diários escritos pelo Renato quando ele estava na clínica de reabilitação, em 1993. Sempre considero um pouco polêmica a publicação de textos tão íntimos de pessoas que já morreram, afinal, não temos como saber se o indivíduo gostaria de ter sua intimidade exposta dessa maneira. Porém, essa questão é um dos tantos costumes da nossa sociedade que não adianta tentar mudar. 

Imagino que os livros não sairão muito baratos, uma vez que Companhia das Letras já não é muito popular e provavelmente a edição dos diários será incrível (tenho fé, estou rezando hahaha). Entretanto, para quem é fã de verdade, vale muito a pena começar a guardar moedas no cofrinho! Já consigo me imaginar na porta da Cultura esperando a livraria abrir haha <3







*Em julho voltarei aqui para mostrar se consegui ou não comprar e quais os motivos! Me sigam sempre no Instagram (@nat_assarito), lá somos muito mais próximos <3

segunda-feira, 20 de abril de 2015

A vida em espiral - Resenha

Logo depois de fechar parceria com a editora Rádio Londres estava muito ansiosa para escolher o primeiro título e resenhá-lo para vocês. Talvez seja bobeira minha, mas queria que ele fosse incrível e diferente de tudo o que eu já li, saindo da zona de conforto mesmo. A Vida Em Espiral foi a melhor escolha que poderia fazer, uma vez que une a cultura africana, tão pouco comentada entre nós, com um tema que é familiar no nosso dia-a-dia: o tráfico de drogas e, em especial, a questão da maconha. 

"No Senegal, 'A vida em espiral' é um livro lendário: em Dakar, se alguém leu um só livro na vida, é quase sempre esse. Cativante como um noir, é a história de traficantes e consumidores de maconha, totalmente desprovida de moral salvo aquela imposta pela realidade cotidiana: só o crime paga."    Hélène Lee, Libération

Amuyaakar Ndooy, o protagonista do livro, é um jovem senegalês pobre. Sua profissão, motorista de táxi, não permite que sustente de maneira confortável sua avó, irmã e filho pequeno, com quem vive em uma aldeia. No país, um decreto impede o consumo de yamba (uma variação de maconha) e torna quase impossível sua comercialização. 

Um dia, enquanto "desenvolvia" (fumava yamba) com seus amigos, Ndooy tem a ideia de passar a vender a droga. Com ajuda de um fornecedor conhecido, monta uma pequena rede de tráfico, a qual logo prospera, mudando radicalmente a vida do personagem. Clientes grandes aparecem, a casa e o carro mudam e, a cada dia, a paranoia de ser delatado e preso cresce. 

"A vida em espiral" é cativante por ser a típica história de anti-herói. O personagem principal apresenta sérios desvios de caráter, mas, mesmo assim, o leitor se identifica e torce pelo seu sucesso. Eu mesma, em diversos momentos da narrativa, me peguei com medo de que Ndooy fosse apanhado.

Grande parte da identificação com um personagem tão contraditório deriva dos absurdos da sociedade na qual o protagonista está inserido e tudo fica mais instigante quando percebemos que nossa realidade não é tão distante. Por exemplo, em certo ponto da narrativa há uma grande reunião na mesquita da aldeia convocada pelos "velhos" que estavam horrorizados com a juventude da comunidade. O encontro gerou um grande embate entre gerações porque foi demonstrado que tudo aquilo era uma grande hipocrisia. Se os jovens se viciam em álcool é mais que justificado pensar que isso ocorre devido ao exemplo que seus pais transmitem.

Outro ponto de reflexão importante é sobre a criminalização e guerra às drogas. O autor, Abasse Ndione, deixa claro que por mais que o cerco policial se intensifique, os jovens não deixam de consumir drogas, o que gera um comércio extremamente lucrativo para políticos e autoridades corruptas. Será que o erro não está em banalizar a conscientização da população,  recorrendo às lendas e achismos, em despeito de um investimento educacional?

As diferenciações e o contato com outra cultura, descrita de forma cuidadosa pelo autor, tornam a experiência de leitura muito mais rica. Aprendemos termos novos (como "impi", designação dada aos policiais), nomes totalmente diferentes, hábitos religiosos diversos (ao mesmo tempo que a cultura oficial é a muçulmana, é comum recorrer à curandeiros em busca de amuletos de proteção) e uma ideia de amor e casamento totalmente impensável para nós. Cada detalhe do livro me deixou encantada! 







Links da Rádio Londres:

Telefone: (21)2544-3092
E-mail: info@radiolondreseditores.com
Twitter: @radiolonlivros


domingo, 19 de abril de 2015

Uma linha




Jurei por todos os deuses já inventados pela mente humana: não escrevo uma linha sobre você. Mesmo com todas as palavras me sufocando e a vontade constante de gritar que está tudo errado porque você colocou um ponto final, virou a página e começou outra sentença sem que eu tivesse fechado meu parêntesis. Nos tornamos uma frase incompleta em um universo que espera uma mínima abertura para cultivar tudo pela metade. E eu não suporto não conseguir racionalizar e ter que aceitar que a minha falta de compreensão não faz diferença. Uma vida independente de si mesmo é a pior modalidade de ansiedade que pode existir. Nove linhas escritas e abruptamente interrompidas para dizer que não escrevo uma linha sobre você e que todas as noites mentalizo da maneira mais forte que sei "se não faz sentido, não é real".




"Hoje cedo
Quando eu acordei e não te vi
Eu pensei em tanta coisa
Tive medo
Ah, como eu chorei, eu sofri
Em segredo
Tudo isso
Hoje cedo"
Emicida








segunda-feira, 6 de abril de 2015

Poesia em imagem: Campos do Jordão - São Paulo




Como foi a Páscoa de vocês, meus amores? Quem me segue no Instagram sabe que eu passei o feriado em Campos do Jordão, cidadezinha de São Paulo que faz divisa com o sul de Minas Gerais. Eu sempre tinha ouvido falar de Campos por causa da badalação (lojas, festas, restaurantes) e nunca tinha tido muita vontade de conhecer. Porém, me surpreendi bastante! A natureza é incrível, com florestas de araucárias, diversos tipos de flores e mares de morros incríveis. Além disso, a cidade tem arquitetura alemã, o que acaba fazendo com que todas as construções tenham aparência de casinha de boneca! Como eu fiquei poucos dias, não deu pra conhecer tudo o que a cidade oferece, mas, imagino que vocês, assim como eu, se apaixonariam. Nunca conheci nenhum lugar mais aconchegante pra uma leitora <3 Olhem algumas fotos (cliquem nas imagens para ampliá-las): 




Parque do Morro dos Elefantes

Amantikir: jardins que falam - esse parque é imenso e incrível demais!

















Mirante acima dos 2000m de altitude e das nuvens <3


Plantinha utópica


Labirinto (não entrei meeesmo, morro de medo! hahaha)

Parece ou não casinha de boneca?


*Espero que com as fotos vocês consigam dividir um pouquinho dessa experiência comigo. Nunca fiz nenhum curso de fotografia e as tirei com o celular mesmo, mas a beleza de Campos do Jordão é tanta que todo mundo vira fotógrafo por alguns dias <3 Uma ótima semana a todos!

quinta-feira, 2 de abril de 2015

Livros de março! (Book Haul em vídeo s2)




Em março muitas e muitas e muitas coisas aconteceram, o que gerou 31 dias completamente alheios ao que eu estou acostumada, incluindo nas leituras. Vocês sabem que eu nunca abandono nenhum livro, mas acabei deixando de lado 1984 e Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban (mas, fiquem tranquilos, em abril volto a ler esses lindos e assim que eu entender e me adaptar ao meu novo estilo de vida, tudo indica que vou ler 3x mais do que antes hahaha). Não vou dizer que li pouco, porque foi exatamente a mesma quantidade de sempre, mas os livros foram voltados quase que exclusivamente para faculdade. 

Apesar de tanta confusão e talvez por conta dela, me senti um pouquinho mais confortável para gravar vídeos para vocês, ou seja: esse Book Haul tem uma parte em vídeo! \o/ Foi um pouquinho assustador, eu quase morri de vergonha, mas achei que consegui me sair bem para uma primeira vez. Sejam bonzinhos comigo, ok? <3

Leituras concluídas (na ordem em que foram finalizadas)

  • Do Espírito das Leis - Montesquieu
  • Sejamos Todas Feministas - Chimamanda Ngzi Adichie
  • O Totemismo Hoje - Lévi-Strauss
  • Ensaio Sobre a Dádiva - Marcel Mauss
  • As Regras do Método Sociológico - Durkeim


Minha leitura preferida do mês foi Sejamos Todas Feministas. O livro é o discurso da autora adaptado e estava (talvez ainda esteja) disponibilizado gratuitamente pela Amazon. Chimamanda é uma mulher muito inspiradora e a minha concepção de feminismo converge em grande parte com a dela! São pouquíssimas páginas e li exatamente no dia da mulher, o que me deixou ainda mais feliz e com mais vontade ainda de mudar o mundo (hahaha como se eu já não tivesse muita). A poesia de fim de domingo do dia da mulher foi um texto especial que escrevi após a leitura, com todo aprendizado e energia boa passadas por essa autora incrível. Pra quem quiser ler, esse é o link.




Compras

Esse mês comprei exclusivamente na banquinha de livros usados da minha faculdade, me enchi de coragem e suco de laranja e mostrei eles em vídeo pra vocês. Na minha opinião não há nada melhor para começar o meu youtube do que mostrando como escolho livros usados. O vídeo ficou um pouco longo, mas passei um tempinho me apresentando pra vocês, já que vocês nunca me viram conversando hahaha Eu espero que vocês gostem e se inscrevam no canal, provavelmente teremos mais filmagens se vocês acharem legal <3

 


  • Angústia - Graciliano Ramos
  • Lolita - Vladimir Nabokov
  • Clarissa - Erico Veríssimo
  • El sueño del celta - Mario Vargas Llosa
  • Da Divisão do Trabalho Social - Durkeim

Parceiros


Nesse mês o Aborto Literário fechou uma parceria com a Editora Rádio Londres (contei tudo aqui), o que me deixou bastante feliz! O primeiro livro que eles me mandaram foi A Vida em Espiral, de Abasse Ndione, um escritor senegalês. Estou quase terminando o livro e em breve terá resenha por aqui, mas, posso adiantar que estou adorando (de verdade!). É muito incrível a possibilidade de conhecer outras culturas, ainda mais a africana, através da literatura. A história gira em torno de traficantes de maconha permitindo que nós observemos como é o estilo de vida de um morador do Senegal, a religião oficial e as não oficiais, o combate as drogas no país. Estou encantada! 




*Esse mês foi especial por causa da parceria fechada, da criação do canal do Youtube e da frequência com que postei na página do Facebook. Agradeço muito pela oportunidade que vocês, leitores, me dão de ficar cada vez mais perto e trocarmos tantas figurinhas literárias. Me sigam no Instagram (@nat_assarito), curtam a página do Facebook e se inscrevam no Canal! Muito obrigada por mais um mês ao lado de vocês <3