quarta-feira, 29 de julho de 2015

Poema Enterrado - Ferreira Gullar




Preciso confessar que estava com saudade de postar poesias/ poemas aqui no Aborto Literário. Essa semana estou fazendo um curso especial na Pinacoteca do Estado de São Paulo, o qual trata da construção de uma vanguarda brasileira. Essa vanguarda envolve o neoconcretismo, movimento que ocorreu entre 1959 e 1961, tendo como um dos seus principais expoentes Ferreira Gullar. 

O esquema acima trata de uma das mais famosas intervenções do artista: o poema enterrado. A obra consiste na abertura de uma caixa vermelha, a qual em seu interior possui uma caixa verde que, por sua vez, contém uma caixa branca. Quando se abre a caixa branca, lê-se no fundo a palavra "rejuvenesça". A minha explicação é muito leiga e simplista, mas fiquei encantada com as múltiplas possibilidades que essas caixas abrem. 

segunda-feira, 20 de julho de 2015

Estação Atocha - Ben Lerner (Resenha)

Minha segunda entrega da Rádio Londres começou incrível desde a capa até a última página. Estação Atocha era um livro que estava ansiosíssima para resenhar e ler, sendo a minha primeira solicitação da editora. O enredo gira em torno de Adam, um bolsista americano que vai para Espanha escrever poesia sobre a guerra civil, mas que durante toda narração apresenta dúvidas existenciais e desacredita na sua própria capacidade de produzir algo relevante artisticamente. 
"Um anti-herói que me entreteve e me deixou horrorizado ao mesmo tempo." David Nicholls

Adam Gordon é o protagonista e narrador do romance de estreia de Ben Lerner, autor de livros de poesia premiados (e que também viveu um tempo na Espanha como bolsista, ou seja, há possibilidades de grande parte das questões evocadas pelo personagem serem derivadas doa experiência do autor no país). A obra é dividida em 5 partes bem características; em cada uma podemos observar uma etapa da produção intelectual de Adam, a qual está intrinsecamente ligada aos acontecimentos cotidianos de sua vida e de sua incansável busca por uma transgressão que nunca chega.

O protagonista inicia a narrativa questionando se é possível que alguma forma de arte tenha relevância a ponto de modificar a vida de alguém e, além disso, se ele mesmo poderia escrever algo que honrasse a bolsa que ganhou e as expectativas da instituição que o bancava em Madri. Sempre com um ar entendiado, Adam, uma das personagens mais contraditórias de toda literatura, tenta convencer constantemente o leitor que acredita em certos aspectos que na verdade refuta. Por exemplo, em um dos primeiros pontos do romance explica que nunca escreveria prosa, contudo, em um olhar atento, o leitor percebe que ele nada faz além de tentar criar em torno de si uma lenda de "anti-herói" despatriado, sempre querendo chamar atenção e despertar sentimentos ambivalentes. 

Apesar de ser um poeta, são poucas as passagens em que comenta ter tido inspiração ou escrito algo, justamente porque defende que grandes inspirações não passam de farsa e tentativas frustradas por parte dos autores. Essa sinceridade crítica acaba em muitos aspectos prejudicando sua produção, cuja genialidade é confirmada por alguns outros personagens durante o desenrolar das páginas. 

Adam também pode ser considerado um "anti-herói" não só por tentar convencer o leitor de sua mediocridade, mas pelo seu desinteresse por questões relevantes dentro do contexto histórico em que vivemos. Além disso, durante grande parte da narrativa está drogado após ter feito uso de haxixe ou de calmantes e tem uma relação amorosa repleta de conflitos com duas mulheres simultaneamente, Isabel e Tereza.

Fiquei encantada pelo protagonista de Ben Lerner não só pelo seu esforço de prender o leitor, porém pelo fato dessa personagem tão conflituosa ser um grande retrato da juventude "intelectual" contemporânea. O não pertencimento, o deslocamento dentro de grupos sociais e a angústia por escrever algo que faça sentido e seja importante na vida do outro, quando não se consegue entender ainda o que seria relevante na própria vida, não são características solitárias desse personagem. Estação Atocha, apesar da linguagem tranquila, não é uma leitura simples, despertando indagações que muitas vezes, assim como Adam, custamos em deixar para lá. 




A capa e o marcador mais bonitos da minha estante <3


Links da Rádio Londres:

Telefone: (21)2544-3092
E-mail: info@radiolondreseditores.com
Twitter: @radiolonlivros

sexta-feira, 17 de julho de 2015

São Paulo: Anima Mundi 2015



Já virou tradição: todos os anos, desde o começo do nosso namoro em 2012, eu e o Fê vamos ao Anima Mundi! Nós, assim como a maioria de vocês, adoramos animações e, portanto, esse festival nos deixa infinitamente feliz. O Anima sempre conta com diversas atividades interativas para toda família e é um evento extremamente educativo, agradando desde crianças até idosos.

Apesar de animações, as sessões são divididas entre adultos e crianças porque os curtas sempre têm uma peada mais filosófica, com várias mensagens subentendidas e lições de vida implícitas. Como não tenho nenhuma criança na família, nunca assisti aos filmes infantis, mas confesso que tenho muita vontade de conferir o que é exibido aos pequenos (talvez esse ano faça isso!). Além disso tudo, sempre rolam concursos e premiações dos melhores curtas escolhidos pelo público, uma forma de nos conectar com o que é feito e aprenderem sobre nossos gostos. 

Algo que me deixa bastante entristecida em relação ao Anima Mundi foi a perda do patrocínio da prefeitura e do governo de São Paulo (eu até mandei um e-mail pra prefeitura perguntando o por quê disso, mas ninguém me respondeu :/) no ano passado. Lembro que o evento acontecia em vários pontos turísticos da cidade, como no Memorial da América Latina, onde aconteciam várias oficinas para as crianças. Hoje os curtas são exibidos em algumas salas de cinema específicas, o que não diminui, de forma alguma, a qualidade dos filmes. 

Parece loucura, mas a melhor forma para incentivar novos patrocinadores é deixar a preguiça de lado e prestigiar o Anima Mundi! O evento vai de hoje, dia 17, até 22 de julho na Cinemateca Brasileira e na Caixa Belas Artes. O site está bem explicadinho e a organização lançou um aplicativo com a programação completa. 




Anima Mundi 2014 <3


PS1: A Prefeitura de São Paulo voltou a patrocinar o Anima Mundi em 2015 \o/
PS2: Fui na estreia e o festival está absolutamente incrível!

quarta-feira, 15 de julho de 2015

Leituras de Férias: metas de julho!




Julho trouxe as férias e eu adoro esses dias livres para poder organizar tudo o que ficou bagunçado durante o ano. Sobra tempo para sair, viajar, namorar e, claro, colocar as leituras em dia e investir em estudos diferentes do que estou acostumada ao longo do semestre. Vi muitos canais mostrando as metas de leitura do mês e resolvi gravar também, ainda que exagerando bastante nos meus objetivos, hehe. 





Como vocês viram, é realmente bastante coisa. Porém, hoje é dia 15 e já concluí a leitura de 3 dos títulos selecionados (vocês só saberão quais no fim do mês, afinal, não tem graça sem mistério!). Nesse ritmo, com certeza terminarei mais da metade da lista, o que vai me deixar bastante feliz haha <3  Não se esqueçam de comentar aqui embaixo quais são suas metas de leitura dessas férias, vocês sabem que eu amo saber!

*PS: quem me segue no instagram (@nat_assarito) viu que ontem eu comprei um mega tripé para melhorar a qualidade dos vídeos, ou seja, pretendo sim continuar gravando e estou adorando as sugestões que os leitores estão me dando. Não se esqueça de se inscrever no canal do youtube para ver os vídeos antes de todo mundo <3

quarta-feira, 8 de julho de 2015

Livros de junho! {Book Haul e leituras em vídeo!}



Eu nem consigo acreditar: junho não passou rápido, foi vomitado! Não sei como vocês sentiram essa passagem de mês, mas, da minha parte, tomei um susto quando olhei no calendário e vi que estou escrevendo essas linhas dia 8 de julho. Fico pensando que isso deve ter a ver comigo me sentindo cada vez mais velha, o que possibilita ao tempo que me atropele... E por isso mesmo tenho que pedir desculpas por estar tão ausente ultimamente. A vida anda dessas confusões sem fim e quando pisco, já foi. Porém, nada melhor do que férias para reorganizar meus hábitos de leitura e escrita, não é mesmo?

Mês passado, além de corrido em todos os aspectos, foi fechamento de semestre na faculdade. Aí já viu, desespero generalizado para não pegar recuperação em nada (e nesse ciclo ainda tive estatística, ou seja, perdi um tempão de vida fazendo contas --"). Acabou que eu não li tanto quanto queria, contudo, minhas duas leituras foram bem proveitosas e acabei conversando um pouquinho sobre elas no vídeo. Além disso, ganhei presentes lindos e um livro incrível da parceira do Aborto Literário, a Rádio Londres.





Leituras Finalizadas (na ordem em que foram lidas)

  • Sobre a questão judaica - Karl Marx
  • Toda Saudade do Mundo: a correspondência de Jorge Amado e Zélia Gattai. Do exílio europeu à construção da casa do Rio Vermelho (1948-67) - Organização: João Jorge Amado.

Presentes

  • Os Trabalhadores do Mar - Victor Hugo (com tradução de Machado de Assis)
  • Coleção Os Pensadores: Adorno

Editora Parceira (Rádio Londres)

  • Estação Atocha - Ben Lerner





Esse é o Júpiter, meu novo porquinho da Índia ganhado em junho! <3



*Como disse no vídeo, queria muito atualizar o canal uma vez por semana nesse mês. Por isso, seria muito muito muito legal se vocês me dessem sugestões do que gravar e se inscrevessem por lá (e por aqui também, se tiverem um blog). Estou com muita vontade, de verdade, de conhecer booktubers e blogueiros novos, que fujam de todo esse "profissionalismo" que tá tomando conta da internet. Porque, sei lá, acho muito bonito tentativas amadoras mesmo de entrar em contato com o outro e incentivar leitura <3 Então, por favor, não deixem de me deixar comentários com dicas e o endereços dos seus canais e blogs também! Espero que todos tenham um mês lindo e descansem bastante <3