terça-feira, 12 de janeiro de 2016

"A União Soviética Através da Câmera" - Exposição no Memorial da América Latina


Nesse final de semana tive a oportunidade de visitar a exposição "A União Soviética Através da Câmera", exibida no Memorial da América Latina em São Paulo. Com curadoria de Luiz Gustavo Carvalho e Maria Vragova, a mostra reúne fotografias de Viktor Akhlomov, Yuri Krivonossov, Antanas Sutkus, Vladimir Lagrange, Leonid Lazarev e Vladimir Bogdanov, cujas imagens retratam o período posterior ao Stalinismo e reproduzem de maneira tocante o modo de vida soviético. Apesar do contexto de Guerra Fria, das inúmeras privações que parte da população sofria e das constantes ocupações de território, é possível observar como os indivíduos conseguiam manter uma rotina e serem felizes. 

"Paz é vida" - Vladimir Lagrange
A União Soviética enquanto líder do socialismo e um dos grandes pólos da Guerra Fria foi um país de contrastes extremos, tendo o desenvolvimento tecnológico e a corrida espacial como um dos nortes, enquanto que boa parte da população apresentava condições de vida miseráveis, com cargas de trabalho exaustivas e alimentação insuficiente. Contudo, a exposição surpreende por nos apresentar um lado do país que não conhecíamos: a riqueza cultural e o patrimônio humano. Desde brincadeiras infantis, fotografias de festas populares e retratos de grandes cientistas e intelectuais, temos a oportunidade de conhecer todas as facetas de um país ainda de difícil acesso para nós, brasileiros. 

Tendo a ser muito desconfiada quanto as informações que temos dos países que compunham o bloco socialista. Como fazíamos parte dos aliados dos EUA, sempre nos foi apresentado muito pouco, sendo que boa parte do que chegou ao nosso conhecimento foi distorcido (não, isso não é mais uma teoria da conspiração e pode ser comprovado em qualquer pesquisa rápida). Entretanto, ao observar as imagens temos certeza da imensidão que fomos privados.  

Retratos de Simone e Beauvoir e Sartre em visita à Lituânia
Como a União Soviética era um território composto por diversos países antes independentes, há uma diversidade populacional muito grande. Além disso, como um dos fotógrafos afirma no vídeo exibido, o objetivo daqueles profissionais não era retratar a fome, guerra ou sofrimento, mas, antes de tudo, a diversidade e expressões felizes do cotidiano. De alguma forma o observador se sente parte íntima daquele todo, afinal, não importa onde e em qual época se esteja, criança sempre gostará de brincar na rua, feriados sempre serão um motivo para serem comemorados e premiações sempre nos darão um motivo para torcer. 
Foi minha primeira exposição do ano e não vejo como poderia ter sido melhor. Indico a todos apaixonados pelo universo russo, socialista ou a qualquer pessoa que queira ampliar seus horizontes e conhecer uma nova cultura. 



Memorial da América Latina

Data: 5 de janeiro à 15 de fevereiro de 2016

Endereço: Av. Auro Soares de Andrade, 664 - Metrô Barra Funda, São Paulo (SP)

Ingresso: Grátis

Mais Informações: http://www.memorial.org.br

PS: tentem pegar o encarte da exposição e a revista América, ambos são incríveis!

2 comentários:

  1. Gente, vi essa exposição no MON em Curitiba e fiquei encantada com tamanha sensibilidade das fotografias. Vale muito a pena! Beijos!

    http://www.joycecosta.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, é realmente incrível. Queria que tooodos visitassem, hehe! Beijos

      Excluir